O surf inspira e transforma os seres humanos. Não são raros os exemplos e os depoimentos de pessoas que mudaram radicalmente seu estilo de vida, sempre para melhor, depois de uma primeira experiência nos esportes de prancha, independente da modalidade. 

Inspirar e transformar

Esse é o DNA da plataforma Almasurf, transformar e inspirar através de um ciclo de projetos de inclusão esportiva no mundo das pranchas. Posto isso, inauguramos com muito orgulho um novo espaço em nosso site, que vem para contar essas histórias incríveis e apresentar os resultados extremamente positivos das nossas iniciativas.

Inspirar e transformar

Gabriel Corrêa

Como primeiro personagem, escolhemos o santista Gabriel Corrêa. Nascido e criado na baixada, litoral sul de São Paulo, o surfista de 19 anos começou a pegar onda depois de participar da quarta edição do Surf Para Todos em São Vicente. Atualmente, Gabrielzinho é um excelente surfista e na última temporada do projeto foi auxiliar dos instrutores da Almasurf.

"Foi muito gratificante participar do Surf Para Todos. A força que os professores me deram representou muito para mim. Até hoje eles estão do meu lado, me apoiam bastante e não me deixam parar de surfar. Sou muito grato por esse evento maravilhoso, que dá a oportunidade para muitas pessoas que assim como eu não conheciam o surf e hoje têm uma qualidade de vida melhor, um estilo de vida melhor", conta o jovem atleta.

Inspirar e transformar

Atualmente, segundo Gabriel, o surf faz parte da sua vida e transformou-se num "vício" do bem. "Se eu fico sem surfar uma semana ou duas, parece que são dois ou três meses. Faz muita falta no dia a dia, sabe? Quando você entra no mar, se conecta com a natureza, é outra história. Mesmo que você não faça o seu melhor dia de surf, você sente seu espírito completo por inteiro", revela Corrêa.

Para finalizar, o esportista faz uma série de agradecimentos. "Obrigado Almasurf, agradeço de coração a oportunidade, e não deixem esse projeto parar. Espero que ele tenha continuidade pois pode mudar a vida de muita gente, assim como mudou a minha. Sou grato também por poder ajudar meus professores nas aulas e por todos vocês terem me apresentado a verdadeira essência do surf, que não tem nada a ver com aquele esporte marginalizado de antigamente. O mundo de hoje precisa de eventos assim, que conecta as pessoas. Estamos juntos, galera, muito obrigado", finaliza.