Nascido na tribo Karapanã, Alto Rio Negro, Amazonas, Jair Paulino de Souza desponta a cada dia como uma das promessas do wakeboard mundial. Detalhe, ele tem apenas 12 anos.

Recentemente, Jajá, como é conhecido pela comunidade do wake, conquistou seu décimo título na carreira no Brasil Wake Open 2018 disputado em Nova Lima (MG).

Com uma performance arrasadora na belíssima região da Serra da Moeda, o garoto faturou a categoria Júnior do Campeonato Brasileiro da temporada contra atletas de até 18 anos.

Rider desde os cinco anos, quando viu uma galera treinando no rio Tarumã Açu, quintal de casa, o prodígio contou com amplo apoio da família e do diretor de sua comunidade para desenvolver sua técnica.

Atualmente, Paulino é apadrinhado por Marreco, octacampeão brasileiro, e passa uma semana por ano com o legend em Bragança Paulista, interior de São Paulo, para uma sessão especial de treinos.

“Antes eu era muito briguento. Alguém mexia comigo, eu já saia na mão. Se não fosse pelo diretor, não teria saído de Manaus, nem teria conhecido outras culturas e o Marreco. Eu quero viajar, participar do campeonatos e ser reconhecido mundialmente. Pretendo ter uma escolinha de wakeboard e ajudar bastante a minha família. Quero dar uma vida melhor para eles”, disse Jajá para o Globo Esporte.