Andrea Lopes volta ao Hawaii com Trio Guaraviton

O surf continua me trazendo muitas oportunidades de vida e experiências inesquecíveis. Voltar ao Hawaii após alguns anos só veio catalisar tudo que venho construindo ultimamente como surf coach de uma garotada que ama o esporte e tem muita sede por ondas e pela vida.

Eles formam o Trio Guaraviton: Neville Proa , Sophia Proa e Klaus Chamoun. Três atletas, free surfers, que acompanho há cinco anos nas melhores ondas do mundo.

Venho observando e ajudando de perto toda a evolução deles dentro e fora da água. O olhar é o mesmo de sempre. Postura firme, cabeça erguida para as “ondas” da vida, amor pelo esporte e pela natureza.

Alma de surfista, paz com o mundo. Evolução nas ondas e entendimento do processo chamado LIFE.

Partimos então para as poderosas ondas da costa norte da ilha de Oahu, uma espécie de meca do surf mundial, localizada no Hawaii. Não posso deixar de citar que Costa Rica, El Salvador, Peru e Maldivas já estavam carimbados nos passaporte deles.

Sophia Proa, a única menina do trio, vem defendendo ao meu lado o surf poderoso das meninas.

Klaus Chamoun, o mais novo, com um estilo bem ousado e extrovertido, vem lapidando seu surf nos fundos de pedra e coral.

Nevile Proa, “The Man”, coração de garoto, postura e surf de homem, evoluiu de uma forma meteórica nos últimos anos e segue cada vez mais fissurado pelo esporte.

Aliás, essa avidez pelas ondas e pela aventura é o que nos move pelos quatro cantos do mundo. Entre escola, treinos físicos e obrigações pessoais achamos sempre um momento para um encontro.

Pensamos em como podemos evoluir, onde vamos, o que desejamos e o que mais podemos fazer.

A meta de 2020 era o Havaí: ondas fortes, pranchas grandes, 15 dias juntos de convivência, nos ajudando em todos os sentidos, viajando juntos, explorando, pensando, superando todos os momentos. Unidos!

Assim foi desde nosso embarque, com atrasos e perda de voo. Assim foram as ondas que ousamos surfar, assim foi na convivência dia a dia onde a disciplina, a paciência e a união foram essenciais para entender cada universo.

Assim foi um sucesso e sempre será, pois o que une essa garotada é a paixão pelo surf, a vontade de crescer, de se superar, de desafiar e de ser desafiado.

Surfamos todas as ondas, encontramos meus amigos na agua (Kelly Slater, Guilherme Tâmega,  Jonh Carper, Pato). Rodamos a ilha, nos divertimos muito…

O resultado não poderia ser outro: muito surf e muita experiência de vida!

Obrigada, trio!

Obrigada, Guaraviton!