Rally dos Ventos: Prova extrema desafia atletas

65 km de kitesurf nos Lençóis Maranhenses exigiu bastante dos atletas que participaram do Red Bull Rally dos Ventos. Alex Neto e Susi May levaram a melhor.

por Maíra Pabst, 21/09/2017
follow

“Uma prova extrema”. Foi assim que Alex Neto resumiu a segunda edição do Red Bull Rally dos Ventos. Depois de percorrer de kitesurf 40 quilômetros pelo mar e 20 quilômetros pelas dunas do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, Netinho cruzou a linha de chegada em primeiro lugar. Pela segunda vez, ele e Carlos Mário “Bebê” travaram uma batalha acirradíssima.

Depois de aproximadamente 1h40 da largada, os dois se aproximaram da linha chegada muito próximos um do outro, mas Bebê seguia na frente. Faltando menos de 3 metros para cruzar a linha, quase que inexplicavelmente, Alex ultrapassou seu rival e levou o bicampeonato.

"Eu estava atrás do Bebê, mas na parte que tivemos que correr na areia dei meu máximo, corri muito. O Bebê foi colocar a prancha e não sei o que aconteceu que eu consegui passá-lo".
Alex Neto, bicampeão da prova
Esses dois kitesurfistas já têm uma rivalidade (muito saudável, são bem amigos) de longa data. Ambos disputam o mundial de freestyle sempre brigando pelo topo dos pódios. Bebê é campeão mundial na modalidade. Já no Rally dos Ventos, Alex está dominando. “O meu negócio é o freestyle, mas a prova foi demais. O visual é muito maravilhoso e foi tudo incrível”, contou Carlos Mário “Bebê” . O terceiro lugar ficou para o atleta Bruno Elisário, que se classificou pelas seletivas de Barra Grande.

Girl Power Na categoria feminina, Susi May levou o campeonato. As mulheres sentiram bastante as dificuldades da prova. Das dez que largaram, apenas três cruzaram a linha de chegada. A bicampeã mundial Bruna Kajiya largou, mas decidiu não completar o trajeto. Ela está na briga por mais um título mundial de freestyle e terá que competir na próxima terça-feira na Holanda. Para se poupar fisicamente, Bruna participou apenas do início da competição. “Eu me conheço, quando eu entro para competir dou o meu máximo. Então preferi não me esforçar tanto para não ficar destruída para a próxima etapa do mundial”, explicou Bruna.

Alvelina Fontes, de Belém do Pará, foi um exemplo de raça e determinação. Aos 52 anos, tinha uma única meta: completar a prova. Depois de quase 5 horas, a guerreira cruzou a linha de chegada sem saber que mesmo assim faria pódio. “Eu me classifiquei pela seletiva para o Rally dos Ventos. Me preparei durante dois meses para isso, com corridas e treinos específicos. Estava muito bem fisicamente e extremamente feliz e agradecida por estar participando dessa prova. É tudo muito maravilhoso. Eu me senti forte durante todo o percurso”, contou Alvelina extremamente empolgada e emocionada. “Não estou nem cansada, só estou feliz, muito feliz. Eu tinha esse sonho de competir nesse evento, quando vi essa lycra, eu queria muito ela. Vou colocar numa redoma agora”, finalizou. Maria do Socorro completou o pódio no segundo lugar.

Segurança e Tecnologia Todos os atletas foram equipados com um Spot Gen-3, um rastreador via satélite. Com o aparelho, a organização do evento podia mapear os atletas e ter a segurança que eles conseguiriam emitir um sinal de alerta, caso fosse necessário um resgate. Além disso, foi possível gravar o trajeto exato que cada um percorreu e a estratégia utilizada.

O evento Rally dos Ventos foi realizado com autorização do ICMBio na zona de uso extensivo do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses abriga aves migratórias e espécies ameaçadas de extinção.

A prática de Kite Surf é restrita à períodos e locais específicos e está sujeita à autorização específica do ICMBio.

Telefone ICMBio: 3349-1267 / E-mail: pnlm@icmbio.gov.br

Fonte Red Bull

 

 

almasurfalmasurfalmasurfalmasurf