Qualidade de vida é muito mais do que atividade física

Organização Mundial de Saúde (OMS) define saúde como um completo estado de bem-estar físico, mental e social, e não meramente a ausência de doença, concorda a fisioterapeuta e surfista Camile Magalhães.

por Camile Magalhães, 22/08/2017
follow

A expressão qualidade de vida foi empregada pela primeira vez pelo presidente dos Estados Unidos, Lyndon Johnson, em 1964, ao
declarar que “os objetivos não podem ser medidos através do balanço dos bancos. Eles só podem ser medidos através da qualidade de vida que proporcionam às pessoas”.

Não podemos avaliar a qualidade de vida apenas pela atividade física. Por exemplo, o que importaria ir de bike ao trabalho se as condições foram estressantes até chegar ao local de destino?

Independente de nação, cultura ou época, é importante que as pessoas se sintam bem psicologicamente, possuam boas condições
físicas e sintam-se socialmente integradas e funcionalmente competentes. A espiritualidade, religião e crenças pessoais também são descritas por alguns estudiosos.

O IDH (índice de desenvolvimento humano) também é considerado um fator relevante.

Florianópolis, por exemplo, tem o posto de primeiro lugar neste índice dentro do território nacional. Ele avalia alguns fatores, como segurança da cidade, qualidade do transporte, educação, qualidade de vida etc.

A sobrevivência material mínima para o conforto básico de saúde e de lazer é de extrema importância, mas as pesquisas não
relacionam muito dinheiro com muita melhora da qualidade de vida, e sim os costumes e assiduidade neles.

O psiquiatra Flávio Gikovate relata ainda que "foco, disposição, superação pessoal, respeito ao próximo, e ainda ser aberto à inovação e às novas ideias", também fazem parte deste contexto.

E não somente a prática esportiva, mas o quanto gosta desta prática que escolheu! Ou seja, simplesmente ter prazer no que faz,
prazer no dia-dia, seja no trabalho, no lazer, no sono e até no ócio. Simplesmente escolher o que te satisfaz!

E o surf?

Um artigo publicado em 2011 sobre a qualidade de vida relacionada à prática de atividade física de surfistas, relata que a satisfação gerada, o alívio das tensões, a superação dos limites próprios, a busca de liberdade e o prazer são fatores favoráveis à qualidade
de vida do surfista.

De acordo com este artigo, além dos surfistas praticarem atividade física de fato, deve-se levar em consideração características significativas desta modalidade, sintonizada à natureza, desenvolvendo o corpo, a mente, e o espírito, aguçando a intuição e a sensibilidade que conectam o surfista com outras esferas da vida humana, tornando-se assim, um esporte com potencialidade para prolongar e melhorar a qualidade de vida.

Ou seja, o ato de surfar, o contato com o mar, as ondas, o sol, faz o indivíduo presenciar momentos sublimes, diferentes daqueles vividos no ambiente urbano.

Além disso, surfar na presença de amigos contribui para a manifestação do domínio social, que também faz parte das características avaliadas no contexto de qualidade de vida.

Enjoy your life!

Magalhães Clínica - Camile Magalhães
www.magalhaesclinica.com.br
FISIOTERAPEUTA | CREFITO 3/69656-F- Especialista em Afecções da Coluna vertebral
Rua Jacurici, 47 |Itaim Bibi | São Paulo | CEP: 01453-030
11. 95640-5005 | 11. 3167-6895

 

almasurfalmasurfalmasurfalmasurf