Óleo no Nordeste: um resumo da tragédia até agora

Desastre ambiental é considerado o maior da história do litoral brasileiro e atinge 2.250 km de costa, desde o Maranhão até a Bahia

por Redação Almasurf, 24/10/2019
follow

No último dia 30 de agosto, manchas de óleo começaram a aparecer em praias do litoral nordeste do Brasil e de acordo com os últimos dados oficiais, até a última terça-feira (22), já foram retiradas das praias aproximadamente mil toneladas do material.

O desastre ambiental é considerado o maior da história do litoral brasileiro e atinge 2.250 km de costa, desde o Maranhão até Morro de São Paulo, ao sul de Salvador (BA). Os mais importantes ponto turísticos da região foram afetados: Maragogi (AL), Pipa (RN) e Jericoacara (CE) são bons exemplos.

A origem do derramamento ainda é desconhecida, mas foi detectado que o petróleo é proveniente dos poços venezuelanos. Centenas de países compram petróleo da Venezuela e o mercado negro da commoditie movimenta US$ 133 bilhões, perdendo apenas para o mercado das drogas. Esse contexto dificulta ainda mais as investigações.

A Marinha está à frente das investigações e de acordo com a última nota divulgada à imprensa muitas hipóteses são consideradas, incluindo naufrágios e derramamentos acidentais. “No momento, são muito remotas as possibilidades de exsudação de petróleo nas Águas Jurisdicionais Brasileiras e poluição causada por lavagem de tanques de navios transitando em nossas águas, pelo volume do material recolhido”, diz o informe.

As hipóteses consideradas até agora são: operação "ship to ship", que é a transferência de petróleo de um navio para outro no mar; naufrágio de navio petroleiro; derramamento acidental e derramamento intencional. Na última quarta-feira (23), o governo brasileiro solicitou à OEA uma posição oficial do governo venezuelano. Semana passada a PDVSA, estatal responsável pela extração do petróleo, negou haver qualquer acidente ou vazamento em seus poços.

De acordo com a EBC, um estudo realizado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) a pedido da Marinha conseguiu mapear, de forma preliminar, a provável área de onde partiu o óleo que polui praias do nordeste. A região localizada abrange uma área que começa a uma distância de 600 a 700 quilômetros da costa brasileira, já em águas internacionais, em uma latitude próxima da divisa entre Sergipe e Alagoas. 

A limpeza das praias tem sido feita por ONGs, ambientalistas e voluntários, em uma mobilização sem precedentes da população das comunidades afetadas. Nos últimos dias, oficiais do Exército passaram a auxiliar nos trabalhos. Os números oficiais apontam para pelo menos duas centenas de praias atingidas em 72 municípios de nove estados.

Foto de capa: Teresa Maia / El País.