Shaper cria pranchas de plástico doméstico

Patrocinadora da etapa da WSL em Portugal apresenta ao público uma prancha produzida com o principal responsável pela poluição dos oceanos

por Redação Almasurf, 23/10/2019
follow

Em uma iniciativa batizada de “Humaniza-Te”, a MEO, patrocinadora da etapa da WSL em Supertubos, Portugal, apresentou ao público uma prancha produzida com plástico doméstico, principal responsável pela poluição dos oceanos.

Idealizados e fabricados pelo shaper local Luís Carvalho, os modelos foram para a água para serem testados em uma bateria especial, a Beat the Plastic Waste, com objetivo de promover a conscientização ambiental entre o público e a comunidade do surf.

Participaram da “disputa” os tops Frederico Morais, Conner Coffin e Brisa Hennsey, além dos integrantes da MEO H-Team, Mafalda Lopes e Afonso Antunes.

Em entrevista ao canal português SIC, Carvalho explica que no momento as pranchas não têm caráter comercial e são apenas um “grito de alerta”, que expõe uma grave contradição.

“Enquanto fazemos movimentos pela defesa do meio ambiente, utilizamos materiais extremamente poluentes na produção das pranchas”, lembra o shaper e ativista. As pranchas estão expostas para o público durante todo o período de janela do Meo Rip Curl Pro.

Plástico nos Oceanos

Pesquisas recentes indicam que cada ser humano produz aproximadamente 30 quilos de plástico por ano. O Fórum Econômico Mundial divulgou dados alarmantes que indicam que em 2050 haverá mais plástico do que peixes nos oceanos.

Organizadora do tour mundial, a World Surf League destaca em seu site o papel dos surfistas na solução desse grave problema. “Devemos dar o exemplo, inspirando a sociedade a vencer o combate ao lixo plástico nos oceanos”, diz a entidade.