ISA Games histórico começa sábado no Japão

Evento reúne 240 competidores dos quatro cantos do planeta e será a primeira edição a classificar surfistas para os Jogos Olímpicos

por Redação Almasurf, 04/09/2019
follow

Com a presença dos melhores surfistas do mundo, inclusive os tops da WSL, o ISA World Surfing Games 2019 começa neste sábado (7) e tem janela aberta até o próximo dia 15 de setembro na região de Miyazaki, Japão.

Válido como pré-olímpico para Tóquio 2020, o evento reúne 240 atletas dos quatro cantos do planeta. O WSG deste ano é histórico, pois será a primeira edição para qualificar diretamente os surfistas para as Olimpíadas.

O evento faz parte de um processo hierárquico de qualificação que também inclui o World Surf League Championship Tour de 2019, os ISA World Surfing Games de 2020 e os Jogos Pan-Americanos de Lima de 2019.

Os melhores homens e mulheres elegíveis da Ásia, África, Europa e Oceania garantem vaga na estreia olímpica do surf. Entre a quantidade sem precedentes de nações nas disputas, cinco estão no campeonato pela primeira vez: Samoa Americana, Líbano, Maldivas, Sri Lanka e Tailândia.

A elite do surf mundial confirmou presença em Miyazaki. Os principais surfistas do CT como Kelly Slater, Carissa Moore, Stephanie Gilmore, Julian Wilson, Gabriel Medina, Filipe Toledo, Tatiana Weston-Webb, Jordy Smith, Johanne Defay, Jeremy Flores e Michel Bourez representam seus países em busca do ouro. O time brasileiro ainda conta com a presença de Silvana Lima, Tainá Hinckel e Italo Ferreira.

Destaque para o recorde na quantidade de atletas na categoria Feminina, que deve chegar à 103 competidoras, representando cerca de 40% do total de participantes. Presidente da ISA, Fernando Aguerre comemora o número recorde de equipes nacionais e a participação dos melhores atletas do mundo no WSG.

"É sem dúvida o mais importante ISA Games da história e os números são conseqüência direta da estratégia da ISA para o desenvolvimento global do surf. Também estou particularmente orgulhoso em ver que nossos esforços para promover a igualdade de gênero produzirão grandes resultados”, comenta o dirigente.

Surf Olímpico

O modelo anunciado pelas entidades envolvidas (Comitê Olímpico Internacional e ISA) dá a oportunidade para os principais surfistas do mundo participarem do processo de seleção às Olimpíadas de Tóquio 2020, limita a quantidade de atletas por países e mescla classificados pela WSL com classificados nos ISA World Surfing Games de 2019 e 2020.

De acordo com as regras, 20 homens e 20 mulheres disputarão as medalhas no Japão e cada país pode classificar no máximo dois competidores. O país anfitrião tem direito à uma vaga masculina e uma feminina.

Dezoito das quarenta vagas serão destinadas aos atletas da primeira divisão da WSL: dez homens e oito mulheres. As 22 vagas restantes serão ocupadas por classificados nos ISA World Surfing Games dos dois próximos anos.

Confira a ordem hierárquica de eventos:

1. Championship Tour 2019: primeiros dez homens elegíveis e as primeiras oito mulheres elegíveis.

2. ISA World Surfing Games 2020: quatro primeiros homens elegíveis e seis primeiras mulheres elegíveis.

3. ISA World Surfing Games 2019: quatro homens e quatro mulheres selecionadas por seu continente. Primeiro surfista elegível de cada gênero representando cada um dos continentes: África, Ásia, Europa e Oceania.

4. Jogos Pan-americanos de 2019: primeiro homem elegível e primeira mulher elegível nas competições de surfe.

5. Copa da nação anfitriã: Caso os japoneses não consigam qualificação dentro dos outros critérios, o primeiro homem e a primeira mulher elegível em uma competição nacional serão os representantes do país-sede.